"ENCANTO DAS ÁGUAS - RIO SALOBRA & CÓRREGO AZUL"

Reserve a oportunidade de uma completa revitalização de energia ao mais belo cenário de contemplação e interação do mundo.
Agende já seu passeio e aproveite o máximo de nossos atrativos.

Saiba mais

Criado em setembro de 2.000, o Parque Nacional da Serra da Bodoquena foi a primeira e, até o momento, a única unidade de conservação de proteção integral federal implantada no estado de Mato Grosso do Sul.

A criação do Parque...

Visa proteger a maior área contínua de “Mata Atlântica” no estado, a qual se localiza sobre um terreno com características geológicas especiais, atendendo os objetivos de preservação e estudo da biodiversidade, bem como à recreação, apenas para citar os mais comuns.

Os Limites...

Seus limites abrangem 76.481 hectares, os quais foram transformados em área de utilidade pública pelo Decreto de Criação. O parque está dividido em dois fragmentos: um ao norte, com área de 27.793 hectares e outro ao sul, com 48.688 hectares.

Nas áreas ainda não adquiridas pelo PNSB, são permitidas as atividades agropecuárias em terras produtivas, embora qualquer forma de supressão ou exploração econômica nas áreas nativas está proibida.
 
A desapropriação é um recurso extremo, o qual só deverá ser utilizado futuramente se houver proprietários que se recusarem a negociar amigavelmente a venda de suas terras.

Sua Vegetação...

De acordo com o Plano de Conservação da Bacia do Alto Paraguai (PCBAP, 1997), a vegetação predominante no Parque é a Floresta Estacional Decidual Submontana, cobrindo uma área de 70.097,79 hectares. As formas de transição, em que se identificam tanto características do cerrado, como da floresta estacional, correspondem a 3.564,241 hectares.

As fisionomias de cerrado e de campos alagáveis respondem por 379,081 hectares. Somente 2.576,681 hectares apresentam-se antropizados, isto é, alterados marcadamente por atividades humanas.

Sua Fauna...

Na fauna, há registros de ariranhas, lontras, onças pintadas, harpia e várias outras espécies. No entanto, há ainda uma carência de estudos que caracterizem com maior rigor a fauna da Serra da Bodoquena.

Vale mencionar que já foi identificado pelo menos um endemismo na região: existe uma espécie de psitacídeo que só ocorre na Serra da Bodoquena.

Os Rios...

Os dois principais rios do Parque Nacional são:

Salobra, localizado no fragmento norte, e o Perdido, no fragmento sul.

Assim como na maior parte dos cursos de água da Serra, esses rios apresentam águas muito límpidas, devido à ação das águas da chuva sobre as rochas existentes na região. A dissolução de tais rochas no caminho de drenagem confere às águas propriedades como o gosto salobro e a dificuldade de apresentar partículas em suspensão.

No decorrer do tempo, a interação das águas com as rochas foi a responsável pelo surgimento de numerosas cavidades naturais (cavernas, grutas, abismos, alagados ou não), muitas delas ainda por serem identificadas.

O trajeto de muitos rios e córregos da Serra passa por cavidades. Alguns trechos do rio Perdido são subterrâneos e os pontos onde as águas adentram cavidades ou saem destas (denominados sumidouros e ressurgências, respectivamente) apresentando grande beleza cênica, como é o caso do sumidouro presente na área de onde se localizava a fazenda Boqueirão.

A limpidez das águas favorece a observação e o estudo da fauna e flora subaquática.

Já foram descritas novas espécies de peixes que residem em cavidades alagadas da Serra e muitas ainda devem ser identificadas nos próximos anos se considerarmos a exiguidade dos estudos realizados até hoje no interior do parque.

GALERIA DE FOTOS

Parceiros & Associados